23 de jan de 2013

Tá difícil ser homem


Durante as férias na praia, dirigindo pela orla, ao cruzar um carro e ver os óculos escuros do casal tive um pensamento tão profundo que me fez refletir até agora pouco. Ou o cara tem muito estilo ou eu tô por fora. Esse padrão de beleza tá com algum problema e precisa ser corrigido.

Tá difícil ser homem. Outro dia fui ao supermercado comprar xampu, desodorante e mais algumas coisas. Chegando a prateleira começa a dúvida, qual marca eu levo? Entendo de marcas de xampu o mesmo que entendo de física quântica: nada. Vou pelo preço. E ao ler as embalagens gera outra dúvida: qual o tipo de cabelo é o meu? Fico igual bobo olhando as embalagens e acabo levando qualquer um.

O mais engraçado é que pra ser homem é preciso seguir algumas normas. Estabelecidas e reais. Primeira e mais importante: ser homem de verdade. Ter roupas boas, carros, relógios, sonhar com iates e gostar de golfe. Se não está nesse grupo, meu amigo, você está com os meros mortais.

Segunda: impressionar. É preciso saber impressionar a gata. O sujeito que não dá – ou nunca deu – flor para uma mulher não deveria estar vivo. Se existisse um manual para ser homem, escrito sabe-se lá por quem, essa seria a primeira regra: oferecer uma linda flor para uma linda mulher.

Só um parêntese: sei casos de amigas que nunca receberam flores. Depois aparece um poeta doidão com uma rosa e um bilhete e leva a princesa encantada para passear no bosque à sombra, lendo poesia e comendo queijos e bebendo vinho e...

Os cabras que saem e curtem a noitada sabem de uma regra universal: pedir cerveja importada. Quer saber se é amor ou interesse? Senta com a gata no bar e pede uma Antártica.

Instituiu-se o modelito revistas masculinas e nós ficamos para trás. O mais difícil, e que por isso se tornou regra, é a barriga tanquinho. Para isso é preciso frequentar academia, correr, deixar de beber, de comer... Isso é coisa de menino.

Em contrapartida aos tanquinhos, existem os barriguinhas – em número muito maior. São os que dominam e só não estão na publicidade. E agora quero me incluir a este grupo para fazer parte da equipe campeã. Nós somos o maior grupo, em maior número e espalhado por todos os cantos do mundo, e queremos também ser reconhecidos como um padrão de beleza. Mesmo que exótica, mas um padrão de beleza.

Tá difícil ser homem. Não dá pra explicar numa crônica só.


5 comentários:

Mirella de Oliveira disse...

Sério, fiquei bem preocupada.

Que tipo de mulheres você conhece, não? Está na hora de mudar as amizades, conhecer pessoas novas, porque, sinceramente, eu não me reconheci aí. E também desconheci muuuitas das mulheres que conheço.

Beijão

Mina Cara disse...

Mirella, nós estamos falando das mulheres de modelitos de revistas masculinas, e não das mulheres "reais"...
Certo?

Beijos

___

E você, o que achou?

Mirella de Oliveira disse...

Hummm...

Então está difícil ser homem de verdade pra agradar mulher de mentira?

Paulo Tamburro. disse...

MINA DO CARA,

estou aqui, hipotecando minha mais irrestrita solidariedade a este desabafo contundente e verdadeiro.

E se passarmos para a esfera das relações, chamadas íntimas, aí complica muito mais ainda.

Tipo quando ela diz:

-Pô amor, nem sabe onde é meu Ponto G ainda?

-Como assim , querida, você tem Posto de gasolina, nem sabia
-Ih tá por fora, agora existe até Ponto K, seu mané.

Então, ela explica detalhadamente, que leu nas revistas femininas a "exata" localização do tal Ponto K, e, dando como referência, para esta busca insana e sofrida, o Ponto G.

Olha aí que erro pedagógico, primário!

Sim, preclaro articulista Mina do Cara,se a referência é o Ponto G que ninguém conhece , então, o Ponto K, não fica em lugar nenhum, concorda?

Irrita também ,nestas tais das intimidades de alcova a nova e desesperada tentativa de nos humilhar(kkk), quando elas dizem e sem a menor parcimônia:

-Amor, quero ter múltiplos orgasmos, uns 6 ou 8 tá?

Mina do Cara, fala sério:

Os homens tem 1 (um) de cada vez e botando a língua pra fora (literalmente,kkk).

Pô, e os tais dos múltiplos orgasmos são o que? Terrorismos, contra nós homens , prepotência premeditada ou falta de medida orgástica?

Tá faltando orgasmômetro, por aí!!!

E o pior, meu competente, lucido, e imparcial analista Mina do Cara:

Elas agora , querem por que querem morder nossas nádegas, é a nova onda deste modismo libertário feminino que se apoderou destas nossas maravilhosas companheiras.

Morder, minha nádega? Como assim?

Você sabe que, nosso pai sempre e desde criancinha nos aconselhava:

-Meu filho, nunca e sob hipótese alguma, deixe que ninguém seja quem for , passe a mão no seu bumbum.

Ou seja, bumbum de homem é para sentar e sentar em cadeiras, sofás, bancos e assemelhados .

Imagino se eu deixo morder!

Cara ele sairia do túmulo.

Um abração carioca e muito obrigado por sua generosa adesão aos meus blogues.

Fica na paz.

PS. Desculpe ter sido muito prolixo.

Mina Cara disse...

Mirella, é por aí mesmo...
beijos
__

Paulo, você abordou assuntos das próximas crônicas dessa série. E espero vê-lo aqui mais...
abraço

__

E você que leu e não comentou, o que achou?

A Mina do Cara te ama!